15 de nov de 2013

Trajetória

Postado por Mamãe do Vinícius em

Acho que tá faltando um post contando um pouco da minha trajetória até aqui... Então vamos lá.

Em 2003 descobri que tinha a danada da endometriose. Fiz uma videolaparoscopia que confirmou este diagnóstico e retirou um grande cisto no ovário direito. De lá para cá fiquei pelo menos 7 anos sem menstruar e doença foi embora, mas voltaria caso eu voltasse a menstruar. No final de 2010 começamos o tratamento para engravidar no Hospital das Clínicas (HC)aqui de Belo Horizonte. Lá eles não reconhecem a endometriose como causa direta de infertilidade, assim, são tentados vários métodos para engravidar e a pessoa entra em uma fila para fazer o procedimento mais caro e complexo, que é a fertilização in vitro (FIV). Fiz, então vários meses de rastreamento de ovulação com orientação de coito e indução de ovulação. Foram uns oito ou nove ciclos menstruais fazendo estas tentativas. O problema disto foi que tive que voltar a menstruar para fazer o tratamento e com isso a endometriose voltou...

Depois do insucesso deste método, que é o mais simples, fiz quatro inseminações artificiais, que também não resultaram em nada. Resolvi então procurar uma clínica particular já que a FIV no HC iria depender de chegar a minha vez na fila, o que ainda demoraria e, considerando a minha idade e meu histórico de endometriose não poderia perder muito tempo. Foi então que me indicaram a clínica Fertibaby em Contagem. O Dr. Leonardo Meyer, excelente profissional, me explicou o tratamento considerando as minhas especificidades. Pessoal, o tratamento deve ser individualizado, que leve em consideração as condições de cada paciente, de cada casal.

Assim comecei tomar os remédios para induzir a ovulação. Foram muitos remédios, muitas picadas na barriga!! Três vezes por dia estava eu furando a minha barriga.. Acabei eu mesma aplicando as injeções porque como foram uns vinte dias e pela manhã, bem cedo e à noite já mais tarde ficaria difícil conseguir alguém para aplicar nestes horários. É muita raça furar a própria barriga..rsrs. Ao final de tudo isso fiz a coleta dos óvulos, o Amor coletou o material e os bebês foram feitos... Implantei três embriões e congelei outro dois. Quatorze dias, ou melhor doze dias depois veio o tão sonhado positivo... Estava grávida de um bebezinho!! Porque eu corrigi os dias? A recomendação médica era de fazer o exame quatorze dias depois da coleta, como de praxe, mas nesta data marcada eu estaria em Vitória e no meio do feriado de Corpus Christi.. Então antecipei e fiz dois dias antes, mas já deu positivo!! Lembro que li os 53,36 e achei baixíssimo. Então liguei para a clínica para perguntar se eu teria chance e então me responderam que eu estava grávida sim, principalmente considerando que fiz dois dias antes!!

Mas infelizmente esta gravidez não foi para frente! O meu bebê estava com má formação da calota craniana. Já bem no início os médicos diziam para não ter muita esperança com o embrião pois não resistiria por muito tempo. Fizemos o acompanhamento com vários Ultrassons e o bebê só piorava.. Foi uma fase muito dolorida e complicada. Mas por fim entendi a mensagem deste meu anjinho. Ele veio me mostrar que eu poderia ser mãe, que eu poderia engravidar!! Com quatro meses e meio eu perdi o bebê que, por um aborto espontâneo, não precisei fazer curetagem. Isto aconteceu em setembro de 2012. Em agosto de 2013 transferi os nossos dois picolezinhos, os embriões congelados. Mas infelizmente também não deu, não engravidei.

Resolvemos então fazer o processo todo de novo, uma nova fertilização e implantei novamente três embriões! E agora aqui estou! Gravidinha!! Como vocês viram o primeiro Us mostrou que o bebê está bem!!

Então esta é a nossa história! Esqueci de citar o Amor nela, mas ele sempre foi um excelente companheiro, me acompanhando em todas as consultas e exames e, no que lhe cabia, sofrendo com as picadas e os efeitos colaterais dos remédios...Um super parceiro, como tem que ser, pois o tratamento exige muita cumplicidade do casal e um amor bastante solidificado para que sobreviva e se fortaleça com esta caminhada. A receita é amor, cumplicidade e persistência pois engravidar não é tão trivial como parece...

Bom, este texto grande foi para contar como cheguei até aqui...

O próximo post será sobre o primeiro pré natal.. Até breve....

Bjim

2 comentários:

Anônimo disse...

Oiê, foi conhecendo esta história que vc me contou uma parte quando eu estava para sair de licença pra fazer o laser que me deu o clique, e a outra parte no dia do meu aniversário em 2012 que percebi quantas coisas a gente nem imagina e que podem acontecer... Sua garra e força pra suportar tudo isto são prova de que a suposta fragilidade que vc demonstra por ser uma pessoa delicada (tão diferente de mim!) não existe, que na verdade vc é uma Leoa! Admiro muito vc por tudo que conheço e sei de sua história de vida! Vc é um exemplo! Bj grande. Renata

Ivis Mamãe disse...

Obrigada amiga! Tô muito sensível viu, vê se para de escrever essas coisas que tão me fazendo chorar..rsrs.
A força sempre vem de Deus e ele nos transmita e nos dá aquilo que Ele sabe que conseguiremos carregar, e os fardos são para nosso crescimento, nosso aprendizado! Hoje eu e o Amro somos tão mais fortes e tb mais cúmplices... O meu anjinho do ano passado teve uma missão única: mostrou-me que eu poderia engravidar, pois até então eu não tinha esta certeza. Ele sim, tão pequeninino e "frágil" foi forte o suficiente para abrir o caminho...

Bjim

Postar um comentário

 

Designed by Miss Rinda | Inspirated by Cebong Ipiet | Image by DragonArtz | Author by YOUR NAME :)